Glogster

Padrão

Anúncios

See You Harry!

Padrão

Semana que vêm estréia o último filme da série Harry Potter. Eu tenho 33 anos, faço 34 em Agosto, e acreditem, estou emocionada. (já sei, já sei…Cinthia, pára de frescura!)

Isso porque li todos os livros (alguns mais de uma vez), assisti a todos os filmes, acompanhei tudo o que foi escrito e dito sobre a série e acredito que, depois de tantos anos, Harry Potter conseguiu cumprir bem (em alguns momentos aos trancos e barrancos, mas no geral bem) o que se propôs a fazer.

Confesso que o que mais gosto nos livros são os coadjuvantes  e o mundo mágico que a J.K. Rowling criou, cheio de detalhes incríveis que nos fazem querer fazer parte dele (ainda vou tomar cerveja amanteigada e experimentar feijõezinhos mágicos).

Quanto aos coadjuvantes , vamos falar a verdade, Harry é uma garoto que não pode reclamar dos amigos que tem. Um mais interessante e bacana que o outro. Meu personagem favorito é o Ron Weasley. Na verdade toda a família Weasley é genial. Eles representam tudo o que esperamos em um amigo, são divertidos, sinceros e leais até o fim . Até os inimigos são extremamente cativantes (Snape, I love you!).

E o mundo dos bruxos criado por Rowling é sensacional. Aliás, uma das melhores coisas nos filmes é a perfeita adaptação do que é descrito nos livros para o cinema. É incrível ver nos filmes a reprodução exata de lugares que você viu somente na sua imaginação. Outro ponto forte das adaptações foi a escolha do elenco. Espero de verdade que toda essa molecada consiga seguir uma carreira longa e brilhante.

Enfim, me resta contar porque resolvi ler Harry Potter e a Pedra Filosofal.Há mais de 10 anos atrás uma grande amiga, Sheila, emprestou os dois primeiros livros da série a minha irmã Carolina e eu resolvi pegar o primeiro pra ver se valia a pena ler. Nas primeiras páginas do primeiro livro li o seguinte:

“O Sr. e a Sra. Dursley, da Rua dos Alfeneiros, nº. 4, se orgulhavam de dizer que eram perfeitamente normais, muito bem, obrigado. Eram as últimas pessoas no mundo que se esperaria que se metessem em alguma coisa estranha ou misteriosa, porque simplesmente não compactuavam com esse tipo de bobagem.”

Achei muito interessante essa descrição do casal e fiquei curiosa para saber qual coisa “estranha ou misteriosa” obviamente iria acontecer com eles. Mais pra frente me deparei com o seguinte:

“Harry levantou-se devagar e começou a procurar as meias. Encontrou-as debaixo da cama e depois de retirar uma aranha de um pé, calçou-as. Harry estava acostumado com aranhas, porque o armário sob a escada vivia cheio delas e era ali que ele dormia.”

Pronto, o menino mora embaixo da escada, dentro de um armário! Foi o suficiente para eu querer saber mais sobre ele.
Acredito que com boa parte dos adultos que leram e lêem os livros da série é essa a parte mais interessante, além de nos fazer voltar um pouco no tempo.

Harry Potter cresceu, deu pitis adolescentes, namorou, amou, matou e sofreu muito. E é por isso que meus filhos lerão sua história. Se que ainda não temos distanciamento o suficiente para saber se essa série de livros se tornará um clássico, mas será bem interessante descobrir.

Ensinar é Divertido!

Padrão

Finalmente vou realizar um sonho: ensinar literatura! Ok, na verdade isso realmente só começará ano que vêm, mas já estou comemorando!
Muitas das pessoas que lerem esse post poderão pensar que estou vibrando à toa, afinal minhas aulas serão direcionadas a crianças e adolescentes que não gostam de ler ou que até gostam, mas não são incentivados por ninguém. Pode até ser que eu encontre um ou outro que realmente seja apaixonado por livros, mas sei que serão exceções.
Minha meta será simples: fazer com que pelo menos um aluno por sala que não tinha o hábito de ler se interesse de verdade pela arte literária, que goste da leitura, compreenda os textos, questione, pesquise, comente, enfim, queira mais. Não me importa que seja um na escola toda, mas espero conseguir fazer diferença na vida de alguém.
Também não quero me tornar uma daquelas professoras amargas, que só sabem reclamar do governo e dos alunos. Não que as reclamações sejam invalidas, mas há um prazer em lecionar que supera essas dificuldades.
Se um professor entra em sala de aula de cara feia, mal-humorado, sem vontade de ensinar, é óbvio que os alunos não terão vontade de aprender ou de pelo menos prestar atenção no que essa pessoa divertida, o professor, tem a dizer. Estará criado o clima de animosidade na sala de aula. Esse mesmo aluno ao completar 16 anos se torna um eleitor mal informado, vota errado e acaba por eleger alguém incapaz de perceber a importância de uma boa educação e da valorização aos profissionais do ensino.
Portanto, colegas professores, pensem um pouco em como vocês se comportam em sala de aula, em como lidam com os alunos. É importante fazer com que os alunos vejam em nós que uma pessoa instruída não precisa ser necessariamente chata. Eu, com certeza, não sou.

Fim de Feriado…

Padrão

Ai, que saudades do meu bloguinho!
Muitas coisas acontecendo na minha vida, mas vou arrumar tempo.
Escrever me faz muito bem, e ler idem!

No momento estou lendo dois livros: A Game Of Thrones, do George R. R. Martin, e Rendezvous With Rama, do Arthur C. Clarke. O primeiro é uma fantasia medieval e o segundo ficção cientifica. Ambos ótimos.

Além disso acabei de colocar os olhos em uma nova série em HQ, The Umbrella Academy. A história pode lembrar um pouco X-Men: jovens com super-poderes que são adotados por um senhor que pretende ajuda-los. Mas pelo que vi a semelhança para por aí. Assim que terminar de ler comento aqui.

Storm

Padrão

O último mês foi uma loucura. Ainda estou tentando colocar tudo no lugar, na minha vida, na minha mente, nos meus projetos.
Surgiu uma oportunidade a qual eu não esperava e que foge de tudo que eu havia pensado para minha vida profissional, que finalmente tinha entrado nos eixos pois achei minha vocação. Aceitei e vou encarar essa nova fase, e espero conseguir dar o meu melhor.
Amigos, torçam por mim e me perdoem se eu ficar ausente por um tempo.
Em breve tudo se acalmará novamente.

The Long And Winding Road

Padrão

Toda nova jornada começa aos trancos e barrancos. Temos que descobrir o caminho certo, o tipo de andar, a velocidade. Depois de um tempo fica fácil, até que algo aparece para fazer com que diminuamos o ritmo da caminhada, mas cada um encontra sua maneira de resolver o empecilho.

The Long And Winding Road

(The Beatles)

The long and winding road
That leads to your door
Will never disappear
I’ve seen that road before
It always leads me here
Lead me to your door

The wild and windy night
That the rain washed away
Has left a pool of tears
Crying for the day
Why leave me standing here
Let me know the way

Many times I’ve been alone
And many times I’ve cried
Anyway you’ll aways know
The many ways I’ve tried

But still they lead me back
To the long winding road
You left me waiting here
A long long time ago
Don’t keep me standing here
Lead me to your door